Como se organizar para aproveitar melhor seu tempo com o violão

Como aproveitar melhor as aulas!!

Minha intenção aqui foi listar dicas e idéias que adquiri ao longo dos anos, na condição de professor e aluno, com meus acertos e principalmente com meus erros. Colocar os pontos listados abaixo em prática, que podem parecer óbvios, é algo realmente crítico e que leva força de vontade e empenho constante ao longo da vida como músico, e também pode ser útil em qualquer outro curso ou atividade. Aprenda a se organizar e a como praticar até conseguir tocar tão bem quanto você deseja.

Reserve tempo na sua agenda

Violão, inglês, judô, igreja, churrasco de final de semana, tempo com a família, e por último e não menos importante, trabalho e ou estudo. Soa familiar? Todos nós sempre teremos mil obrigações que devemos cumprir, é raríssimo encontrar uma pessoa que não tenha nenhuma preocupação na vida além de praticar e estudar música. Justamente por isso devemos ser realistas e agendar um tempo dentro da nossa rotina para isso. Não espere ter tempo livre ou ficar a toa para poder praticar, encare seu objetivo de estudar violão como algo tão importante quanto qualquer outro ponto da sua vida, e reserve horários dentro do seu tempo para praticar. Faça uma agenda com a sua cara: se você se sente lerdo de manhã e tem dificuldades em acordar, não faz o menor sentido agendar seu estudo para uma hora mais cedo antes do seu dia começar, por exemplo. Busque o que funciona melhor pra você, e se a solução que encontrar no momento não estiver dando certo, tente um horário alternativo dentro da sua rotina até acertar os ponteiros. O mais importante é incorporar a prática do instrumento na sua rotina. Detalhe: se você não tem agenda, bem vindo a vida adulta! Comece a usar uma ou algo equivalente pra ontem.

Organize um cronograma de estudo

Investir o tempo de maneira produtiva é importante também, procure planejar cada sessão de estudo de uma forma objetiva, e crie um roteiro a ser seguido levando em consideração suas metas e em quanto tempo gostaria de alcançá-las, especialmente  dentro da sua realidade. Se você só dispõe de 30 minutos por dia para praticar, é desproporcional buscar uma meta que demande mais tempo do que isso, como por exemplo ” aprender todas as músicas da banda X em 1 mês”, seja realista e busque ajuda do seu professor para criar um cronograma como esse:

10'-Aquecimento e exercícios de técnica
10'-Progressões de acordes
10'-Repertório

Especifique quanto tempo você irá gastar em cada tópico e faça um planejamento do que você estará praticando em função de onde você está no momento e onde espera chegar. Discuta com seu professor prazos realistas para pequenas metas, mensurando o tempo que você dispõe para praticar, e use esse seu avanço no cronograma como a medida do seu sucesso até o momento.

Defina metas claras e objetivas

Aprender a tocar violão, tocar bem, tocar melhor, são metas de todos nós, e esses objetivos não tem fim, você sempre terá novas coisas a aprender e pontos a serem melhorados. Ao planejar seu cronograma estabeleça uma meta clara e um objetivo aferível, como por exemplo “Decorar os 3 primeiros compassos da música X”, ou “decorar a escala y”, ” conseguir praticar as escalas pentatônicas em colcheias a 130 bpm”, enfim, algo mais descritivo e objetivo. Dessa maneira você tem uma direção mais clara a seguir e uma parâmetro se está conseguindo avançar ou nas suas metas.

10'- Aquecimento e exercícios de técnica
-Exercícios da pagina 6 do método
-Escala maior em colcheias a 120 bpm
10'-Progressões de acordes
-Praticar a troca entre os acordes C e G, 50 repetições somente a mão esquerda
-Praticar a progressão Em C G D a 60 bpm com a levada Z
10'-Repertório
-Tocar 5 vezes consecutivas, sem errar, as seções A e B da música Y
-Decorar a música X

Tocar não é estudar

Tocar não é estudar. Você pode passar a tarde toda tocando sem estudar nem um minuto. Saber diferenciar essas duas coisas é algo extremamente relevante em todos os níveis de aprendizado, do mais iniciante aluno até o músico profissional, e se você souber administrar seu tempo de estudo terá bons resultados no menor tempo possível. Muita coisas em música podemos aprender por repetição, tocar diversas vezes uma mesma passagem ou exercício técnico é importante, mas não devemos perder a medida disso, em muitos casos praticar sem prestar atenção, ou praticar por praticar, é algo que mais atrapalha do que ajuda. Quando estudamos temos um objetivo, como aprender alguma coisa ou melhorar outra. Estudar é se concentrar para ter um resultado, diferente do que simplesmente repetir algo várias vezes sem estar pensando naquilo que estamos fazendo. Veja alguns métodos de estudo nesse post.

Pratique para não conseguir errar

Dizem que a prática leva a perfeição, e essa é uma das maiores mentiras que te contaram na vida. A prática torna as coisas iguais, quando praticamos estamos nos condicionando a repetir algo sempre do mesmo jeito. Dessa maneira é importante orientar a sua prática, a postura como você estuda, para que tenha sempre mais acertos do que erros. Faça tudo o mais devagar possível, prestando bastante atenção a todos os detalhes (principalmente a aqueles que seu professor apontou e esta trabalhando com você no momento) se concentrando e buscando absorver cada gesto, movimento, ou entender de verdade cada matéria estudada. Não tente passar por cima dos seus problemas antes de resolvê-los, geralmente é ai que a maioria das pessoas se engana: ao invés de aprimorar alguma coisa estamos empurrando a sujeira pra debaixo do tapete, e isso além de adiar o desenvolvimento do aluno, pode acabar por criar uma bola de neve de vícios e defeitos difíceis de consertar. A prática torna as coisas iguais, não seja como as pessoas que praticam até acertar, pratique para não conseguir errar nunca  mais.

Foco

Agora que você já se planejou, mantenha o curso até chegar ao fim do trajeto. Esse planejamento irá mudar à medida em que você se desenvolve, de semana a semana, ou a cada 3 meses, etc, mas de qualquer forma é importante não divagar ou andar em círculos. Existe muita fonte de informação hoje em dia, podemos aprender (ou tentar aprender) praticamente tudo na internet ou em bons livros, temos vídeo aulas, revistas especializadas, e acesso a materiais de ótima qualidade (ou nem tanto), mas de qualquer forma é importante manter o foco somente nas matéria em que você estiver estudando no momento. Se você ficar pulando de galho em galho ao invés de insistir tempo suficiente em algum assunto até absorver todo o conteúdo, nunca terá algo substancial nas mãos. É lugar comum o aluno que só toca o início de várias músicas, a música faltando os pedaços mais difíceis, tem mil livros e métodos baixados da internet que ele nunca leu ou estudou, sabe  todas as escalas e arpejos na ponta dos dedos mas não faz ideia das notas que está usando ou como usá-las de uma maneira prática e musical, enfim, muita informação e pouco conteúdo é algo que não irá contribuir para o seu desenvolvimento e dentro das suas metas. Evite divagar procurando outras e novas fontes de materiais enquanto você não esgotar as que você já possui no momento. Quem tem essa tendência costuma ser do tipo mais impaciente do que curioso, mas acredite, se você mantiver o foco pode resolver tudo de uma vez por todas e para o resto da vida, no menor tempo possível.

Disciplina

Também é importante manter uma boa frequência e assiduidade nos estudos, todo dia um pouco é melhor do que muito em um dia só. Nosso cérebro precisa de tempo para assimilar novas informações, especialmente para apreender e incorporar uma nova habilidade, e no caso de se aprender um instrumento ou um novo repertório esses pontos estão sendo essenciais. Pratique todos os dias mesmo que só por 30 minutos, e às vezes melhores resultados são obtidos se você estudar ao longo do dia em curtos períodos de tempo, 20 minutos de manhã, 20 minutos a tarde e 20 minutos a noite, por exemplo. Se você fizer todos os pontos listados anteriormente mas somente uma vez por semana, é provável que entre uma sessão de estudo e outra você ja tenha esquecido tudo ou regredido consideravelmente. É importante ser constante para se desenvolver em muitas coisas, na música isso é um pré requisito.

Particularmente busco usar o tempo das minhas aulas para construir muitas coisas junto do aluno, como exercícios de técnicas ou ensaio de repertório. Uso o exemplo de um trecho da história da Odisséia para ilustrar uma ideia: Penélope não queria se casar com os pretendentes que surgiram para tomar o lugar de Ulisses, seu marido, que tinha ido para a guerra de Tróia. Ela então propõe que irá tecer uma roupa (sudário) para o pai de Ulisses, e quando terminasse escolheria um pretendente. Penélope tece durante o dia, e à noite desfaz o trabalho, na espera de adiar ao máximo o casamento. É isso que você faz com seu estudo quando deixa de praticar de maneira constante: o que você construiu em uma sessão de estudo é desfeita até a próxima. Se não praticar entre uma aula e outra, aquilo que ensaiamos em aula foi por água abaixo.

Faça o que seu professor diz

Seu professor é um guia, uma mistura de treinador e psicólogo, e acima de tudo uma pessoa mais experiente que irá lhe oferecer atalhos e macetes para que você tenha o melhor resultado com o mínimo de esforço possível. Um bom professor não vai simplesmente expor e lhe apontar as matérias necessárias e o caminho do seu estudo, mas lhe ajudar a administrar a maneira de assimilar tudo isso e estar ao seu lado durante essa trajetória. Faz parte da função do professor perceber os pontos fracos e positivos em cada aluno e melhorar o que é mais importante primeiro, ao estabelecer um plano especialmente para o seu desenvolvimento. É natural de todo ser humano querer permanecer na zona de conforto, e na hora de estudar música isso muitas vezes se traduz em praticar aquilo que já está bom ao invés de melhorar onde o calo aperta. Por mais progressivo que seja o planejamento pedagógico do seu professor, em algum momento você vai ter que se esforçar em quebrar seus próprios limites para melhorar. É aí que muitos alunos começam a andar em círculos, postergando as tarefas que o professor planejou ou sempre buscando novas alternativas e se tornam espécies de pseudo autodidatas, muitas vezes sem levar em conta o que foi citado acima (confesso que esse último ponto teve um pouco a ver com o motivo que me levou a criar este blog). Confie no discernimento e experiência do seu professor, se for o caso converse e tente entender seus métodos e a maneira como ele trabalha, se vocês não entrarem em consenso dificilmente você irá colher bons frutos dessas aulas, e será melhor procurar outro profissional.

Divirta-se!!

Tenha prazer em tudo isso. Mesmo que você queira ser um músico profissional e tem uma prova, audição ou equivalente colocando a faca no seu pescoço e cobrando resultados pra ontem, ninguém começa a estudar música porque acha isso um saco. Se as aulas de música se tornaram um martírio ou mais uma obrigação chata, algo está completamente errado. Aprendemos melhor e mais rápido de forma lúdica e prazerosa, então divirta-se! Desfrute o processo e curta cada instante, você está tocando música afinal de contas!

Alguma pessoas acabam agindo de maneira intuitiva de acordo com as dicas que mencionei acima, outras precisam ser constantemente alertadas para algumas delas, mas de qualquer forma esses pontos devem ser incorporados até que eles possam se tornar algo completamente natural na maneira de ser do aluno enquanto pratica seu instrumento.

Me sinto realmente incomodado como professor quando observo meus alunos andando em círculos ou não tendo os resultados esperados ao longo do tempo e nas nossas aulas. Ninguém se inscreve para começar um curso novo, academia, ou algo do tipo, sem o sincero desejo de aproveitar bem as aulas e aprender algo novo, e como o regime que sempre começa na próxima segunda feira e as resoluções de ano novo que ficaram pendentes, as aulas de músicas vão pelo mesmo caminho. Muitas pessoas tem dificuldade em se organizar (eu sou uma delas também) para cumprir suas metas e os objetivos, e é comum no caso de adultos o aluno até mesmo se sentir culpado ou negligente por não estar atendendo as próprias expectativas, ou as que ele projetou na figura do professor.

Como resultado disso vejo pessoas constrangidas, faltando nas aulas que já foram pagas (acredite, isso não é nada legal pra mim), e percebo que o que deveria ser algo positivo e relaxante na vida do aluno passa a ser mais um fardo e obrigação, e mesmo um fator de estresse. Ninguém tem tempo e energia a perder, e em alguns casos essas demoras em se ter bons resultados podem evoluir para algo muito negativo: o aluno se sentir incapaz de evoluir e acabar desistindo do curso ou mesmo da ideia de aprender música. Todo mundo possui o potencial para tocar muito bem, se tiver tempo para praticar o suficiente e a orientação correta, qualquer iniciante pode atingir um resultado profissional, é questão de tempo e trabalho sério (todo o talento do mundo, dom, ou seja lá o que você preferir acreditar, não serve além da página 02 se comparado ao esforço e perseverança)

Tente colocar tudo isso em prática e boa sorte! Até a próxima aula!


Aulas de violão, online ou presenciais em na Zona norte de São Paulo, capital. Whatsapp(11)99426-3545

aulas violão zona norte de sp metrô tucuruvi jardim são paulo parada inglesa santana mandaqui tremembé jardim frança santa terezinha lauzane paulista casa verde vila guilherme vila ede vila sabrina vila mazzei agua fria professor de violao professor de violão aula violão crianças